Intelectuais Negras Diálogos

Importantes conquistas como as políticas de ações afirmativas nas universidades e concursos públicos, titulações de terras quilombolas, PEC das Trabalhadoras Domésticas, implementação de Programas Sociais como o Bolsa Família e o Minha Casa Minha Vida fazem parte de um cenário macro político que impactou diretamente a vida de milhões de Mulheres Negras, tornando possível conferir visibilidade às nossas vulnerabilidades, mas também às nossas potências, congregadas no protagonismo que desempenhamos.

 

Em atenção a tais transformações, nosso Grupo apresenta, em linhas gerais, o projeto Intelectuais Negras Visíveis, uma pesquisa que tem como principal objetivo conferir visibilidade ao trabalho de profissionais negras atuantes em diferentes campos de norte a sul do Brasil.

Para desenvolver a investigação, partimos da máxima do Grupo – “Muitas, fortes e visíveis”, da valorização das escritas de si, do ativismo virtual, da horizontalidade entre saberes acadêmicos, escolares e ativistas e da importância de produzirmos balanços e registros acerca de quem somos e do que temos feito. Para tal, a equipe, coordenada por Giovana Xavier e formada pelas Intelectuais Negras Amanda Sanches, Conceição Seixas, Janete Ribeiro e Núbia de Oliveira, levando em conta critérios como diversidade etária, regional, de classe, de gêneros e sexualidades e as transformações das últimas décadas, desenvolve investigação permanente em busca de profissionais negras com trabalhos relevantes dentro e fora da nossa comunidade.

 

O primeiro resultado desse trabalho encontra-se no catalogo Intelectuais Negras Visíveis, um guia portfólio, publicado em parceria com a Editora Malê. Trata-se de uma obra de referência, na qual leitoras e leitores podem conhecer dados biográficos e profissionais de cento e vinte e nove Intelectuais Negras, atuantes nos campos: Academia e Pesquisa, Afroempreendedorismo, Artes Visuais, Cinema, Dança, Teatro e TV, Coletivos de Mulheres Negras, Coletivos de Mulheres Negras, Comunicação e Mídias, Direitos Humanos, Educação Básica, Intelectualidade Pública, Literatura, Música, Saúde. 

 

Ao levar em conta a expressiva quantidade de Intelectuais Negras em todo o país, é importante salientar que o catalogo representa ponto de partida de uma pesquisa que está permanentemente em aberto, considerando, mais uma vez que somos muitas, fortes e visíveis. Assim, além do realizado até aqui, estão previstas ações como entrevistas individuais com as integrantes do catalogo e a publicação de novos títulos por campos profissionais específicos, entre outras.

 

O auto reconhecer-se Autoras e Sujeitas de histórias que precisam ser contadas. O engajamento e o desprendimento para transformar ascensões individuais em conquistas coletivas. O compromisso de fazer com que lutas que protagonizamos no passado e no presente incidam no futuro. O direito de sermos humanas, sorrindo e celebrando nossas vitórias.